Inicial Todas Notícia Mais lidas Colunas Revista Exxtra Vídeo & Áudio Cotato
Radar Econômico
17/08/2016 - 00:08:39

Tarifa da Celesc terá redução em média de 4,16%

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na terça-feira, 16, o resultado da  4ª Revisão Tarifária Periódica da Celesc Distribuição apresentando as novas tarifas de energia elétrica para cada classe de consumidores. O Efeito Tarifário Médio, em vigor a partir de 22 de agosto, será de –4,16%.  Para os consumidores residenciais atendidos em Baixa Tensão, o chamado Grupo B, que representa 78,1% dos consumidores da Empresa, o efeito médio percebido da Revisão será de –2,62%.  Para os consumidores atendidos em Alta Tensão, como indústrias e unidades comerciais de grande porte como Shopping Centers, o chamado Grupo A, o efeito médio será de –6,25%. Veja abaixo o resumo.

Revisão Tarifária ocorre a cada cinco anos

Diferente do Reajuste Anual, a Revisão ocorre a cada cinco anos e, durante esse processo, a Aneel avalia o equilíbrio econômico-financeiro da concessionária, baseada no cenário econômico vigente e na projeção do comportamento do mercado para os próximos cinco anos. Para cada ciclo, a Aneel também define novos indicadores de qualidade, envolvendo limites de duração e frequência das interrupções no fornecimento de energia. Os custos das concessionárias de distribuição são incluídos na Revisão como Parcela A (não gerenciáveis pela distribuidora) e Parcela B (custos gerenciáveis). 1) Parcela A: custos não gerenciáveis pela Empresa como encargos setoriais, tributos, custo de compra e transporte de energia; 2) Parcela B: custos gerenciáveis como despesas operacionais (pessoal, materiais e serviços) e investimentos (obras de expansão, manutenção, melhorias, etc).

Governo de SC e Sadia lançam programa de educação alimentar para crianças -1

A Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina e a Sadia lançaram nesta terça-feira, 16, o projeto-piloto Saber Alimenta nas escolas da rede pública estadual. A ideia do programa é criar oportunidades para os alunos se tornarem protagonistas de hábitos alimentares mais saudáveis na escola e em suas famílias, por meio da formação dos educadores. Esta iniciativa é resultante da parceria entre a Sadia e a Jamie Oliver Food Foundation (JOFF). O Estado será o único do Brasil a oferecer o programa em escolas públicas. Para o piloto, 20 escolas da região da Grande Florianópolis serão atendidas, contemplando mais de 500 alunos do ensino fundamental anos iniciais, entre 6 e 10 anos. Nesta semana, mais de 40 educadores, entre professores e especialistas pedagógicos, participarão do primeiro encontro de formação que soma 40 horas para poder introduzir o conteúdo programático no currículo escolar.

Governo de SC e Sadia lançam programa de educação alimentar para crianças -2

Para o secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, a iniciativa vem ao encontro dos objetivos da Secretaria de Educação. “Trabalhamos para promover a alimentação saudável, e este programa vem complementar o curso de formação em Educação Alimentar e Nutricional já oferecido às escolas da Rede. Após a avaliação dos resultados obtidos com o piloto, o programa poderá ser estendido para outras escolas, podendo atingir as 1.080 escolas até 2018”, explica. A rede estadual de Santa Catarina contempla o fundamental e Ensino médio e envolve mais de 500 mil alunos.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade é considerada um dos maiores problemas de saúde pública do mundo: caso nada seja feito, a projeção é que o número de crianças com sobrepeso e obesidade no mundo atinja 75 milhões até 2025. Outro estudo recente publicado no Journal of Human Growth and Development indica que apenas 12,5% dos adolescentes brasileiros consomem uma porção de frutas, legumes ou verduras por dia – enquanto a OMS recomenda no mínimo cinco porções.

José Boiteux recebe recursos para implantação de parque infantil

A comunidade de José Boiteux será beneficiada com o repasse de recursos para a compra de equipamentos para implantação de parque infantil. O deputado João Amin (PP) solicitou ao Poder Executivo a liberação de convênio no valor de R$ 50 mil para a Prefeitura, proveniente do Fundo de Desenvolvimento Social (Fundosocial). O repasse será liberado por meio da Agência de Desenvolvimento Regional de Ibirama. A iniciativa tem por objetivo a implantação de parque infantil no município com aparelhos e brinquedos com modelo de segurança padronizado e que, por consequência, não coloque as crianças em risco. Segundo João Amin, "fizemos a indicação para que o governo do Estado estabeleça essa parceria com os municípios, sempre vislumbrando aporte de recursos que contribuam com o desenvolvimento e o bem-estar das pessoas".

Experiência de autogeração de energia em Iporã do Oeste - 1

O presidente interino da Comissão de Economia, Minas e Energia da Assembleia Legislativa, deputado estadual Dirceu Dresch (PT), esteve no município de Iporã do Oeste para visitar o posto de combustíveis que transformou o telhado do empreendimento em uma usina de geração de energia elétrica. O empresário Liandro Cesar Paini instalou 158 painéis fotovoltaicos e viu sua conta de luz reduzir em cerca de 70%. A conta de energia elétrica do empreendimento poderia ser ainda menor caso o projeto de lei apresentado por Dresch já estivesse aprovado. O PL 198/2015 impede a cobrança dupla do ICMS da energia elétrica produzida a partir da autogeração, cujo excedente seja compartilhado na rede pública de abastecimento. Diferentemente de outros 17 estados, Santa Catarina aplica o  ICMS pelo total de energia elétrica consumida. "O correto seria aplicar  o imposto apenas sobre a parte que ele consumiu da rede pública, isentando de imposto o volume de quilowatts que o cliente  produziu por conta própria, seja por placa solar ou outra forma de obtenção de energia renovável. Queremos resolver esse problema, essa injustiça. A Agência Nacional de Energia Elétrica [Aneel] já permitiu que os estados de tomarem essa iniciativa", explica Dresch.

Experiência de autogeração de energia em Iporã do Oeste - 2

Pela proposta apresentada pelo deputado, se o consumidor coloca na rede mais energia elétrica do que ele consome na residência ou empresa, além de não pagar imposto sobre o que foi gerado, o cliente vai acumular crédito que será descontado na fatura do mês seguinte, podendo acumular esse crédito por até cinco anos. A medida beneficiaria quem beneficia quem tem uma central geradora com potência instalada de até 75 quilowatts, classificada como minigeração. Dresch convidou o empresário para participar da audiência pública que vai debater a proposta no mês de outubro em Florianópolis. "É um case de sucesso que gostaríamos que fosse apresentado na audiência. Em Santa Catarina temos pouco mais de 200 projetos de autogeração de eletricidade conectados ao sistema de distribuição de energia da Celesc . É preciso estimular a autogeração. Santa Catarina não pode perder o bonde da sustentabilidade, da autogeração de energia que gera emprego, renda e estabilidade energética."

O futuro energético está na autogeração

Acordo afasta risco de suspensão da tarifa social

A Prefeitura de Florianópolis e o Consórcio Fênix definiram na terça-feira (16) um cronograma de pagamento para o crédito de R$ 9,5 milhões que a operadora do transporte coletivo tem em relação às tarifas subsidiadas. Com esse acordo, fica afastada a possibilidade de suspensão dos cartões sociais que garantem a tarifa reduzida para famílias de baixa renda ou a tarifa zero para estudantes carentes. Esses benefícios poderiam ser interrompidos a partir da próxima segunda-feira. O Consórcio Fênix emitiu comunicado reiterando “nossa convicção no cumprimento deste cronograma por parte da PMF” e reafirmando o “esforço em manter a operação do transporte coletivo da cidade na maior normalidade possível, desde que sejam honradas as reciprocidades previstas no contrato”. Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, cerca de 1,3 milhão das 5,5 milhões utilizações (‘giros de catraca’) mensais correspondem às tarifas subsidiadas, entre elas a tarifa social e o passe livre do estudante. No último mês, ainda segundo dados da Secretaria, foram registradas 113.977 utilizações da tarifa social e 290.258 do passe livre (estudante social).

Tarifa social no transporte coletivo de Florianópolis

“A Tarifa Social é um direito. A licitação do transporte coletivo foi lançada para favorecer quem ganha menos. No final do mês, esse valor menor da tarifa vai fazer a diferença no orçamento das famílias, que poderão investir o dinheiro em lazer ou outras atividades. Desde que assumi, a tarifa só diminuiu. E assim será, pois o transporte público é direito de ir e vir”, frisou o prefeito Cesar Souza Junior durante a entrega de cartões sociais a famílias de baixa renda em agosto de 2014, pouco depois do lançamento do programa. O passe livre para estudantes carentes e a tarifa social para todos os bairros da cidade – antes, havia redução da tarifa apenas para algumas linhas do Maciço do Morro da Cruz e do Continente – entraram em vigor a partir de 1º de agosto de 2014. Têm direito à tarifa social famílias com renda de até três salários mínimos ou renda individual de até meio salário mínimo. O mesmo critério de renda se aplica à concessão da tarifa zero para estudantes. Um grande mutirão foi feito desde maio daquele ano para cadastrar as famílias beneficiárias no sistema de assistência social.

FIESC está entre as melhores empresas para trabalhar no país

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) está entre as 80 melhores empresas do País para trabalhar – categoria grande porte, segundo pesquisa do instituto Great Place to Work, publicada pela revista Época. A solenidade de reconhecimento ocorreu nesta segunda-feira (15), em São Paulo. O presidente da FIESC, Glauco José Côrte, diretoria executiva e colaboradores das demais entidades que compõem a Federação (CIESC, SESI, SENAI e IEL), acompanharam o anúncio. “Um bom ambiente de trabalho é importante porque estimula a criatividade e o bom desempenho dos trabalhadores”, destaca o presidente da Federação, Glauco José Côrte. “Este reconhecimento nacional nos dá ainda mais força para seguir com nossa meta de cuidar dos nossos profissionais para que sejam protagonistas da nossa estratégia organizacional”, disse a gerente de gestão de pessoas, Márcia Haveroth Trierweiler. As entidades da FIESC já possuem um histórico de participação no ranking nacional do GPTW, sempre conquistando posição entre as melhores empresas para trabalhar no Brasil. Além da pesquisa GPTW, a FIESC realiza avaliação interna a cada dois anos, o que possibilita uma comparação entre os resultados externos e internos.

FIESC destaca força do setor plástico

O elevado grau de encadeamento produtivo, a forte geração de emprego e renda e a alta capacidade de trazer soluções e inovações para a sociedade fazem com que a indústria do plástico assuma um papel estratégico para o desenvolvimento econômico e social brasileiro. A avaliação foi feita na noite desta terça-feira (16) em Joinville pelo presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, durante a abertura da Interplast, Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico, em Joinville. O setor plástico brasileiro obteve em 2015 um faturamento de R$ 62,2 bilhões de reais, com uma produção de 6,6 milhões de toneladas de transformados plásticos. As 11,5 mil empresas do setor plástico nacional empregam mais de 350 mil trabalhadores, representando o quarto setor que mais gera empregos na indústria da transformação. Santa Catarina é o segundo Estado que mais emprega no País, com 40 mil trabalhadores e cerca de mil empresas, representando 11,4% dos empregos e 8,3% dos estabelecimentos totais do país.

Empresa de call center Flex Contact apresenta planos de expansão em SC

O governador Raimundo Colombo recebeu na tarde desta terça-feira, 16, em Florianópolis, o presidente da Flex Contact Center, Topázio Silveira Neto, que apresentou um balanço das operações do grupo de call center em Santa Catarina e seus planos de expansão. Fundada há sete anos, a Flex Contact Center tem sede em Florianópolis, duas unidades de atendimento em Lages e uma em Xanxerê, empregando 5,3 mil pessoas no Estado. Apenas em Lages, na Serra Catarinense, onde há cinco anos começou com uma unidade com 200 pessoas, hoje emprega 2 mil. Com unidades também em São Paulo, o total geral de empregos hoje é de 12 mil profissionais. O crescimento da empresa em 2015 foi de 35% e a previsão para 2016 é crescer mais 30%, afirmou o presidente. Um diferencial importante para a geração de emprego é que este é um setor que tradicionalmente oferece oportunidade para jovens que estão ingressando no mercado de trabalho. A empresa atende cerca de 50 clientes, de setores como financeiro, seguros, telecomunicações, varejo e indústrias.

 

Parque Estadual Rio Canoas receberá investimento superior a R$ 1 milhão

Uma das maiores unidades de conservação de Santa Catarina, com aproximadamente 1.200 hectares, receberá R$ 1.152.509,00 para investimentos em infraestrutura. O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Carlos Chiodini, assinará o repasse nesta quarta-feira, 17, às 15h, na prefeitura de Campos Novos.  “A área em que o parque se encontra possui grande diversidade de fauna e flora e, com uma boa estrutura, poderá conciliar atividades turísticas com educação ambiental”, declara Chiodini. Os recursos são da Fundação do Meio Ambiente (Fatma) e serão aplicados na construção da sede, poço artesiano, portal, trilha para visitação, projeto elétrico e equipamentos. A contrapartida da prefeitura será para melhoria da estrada interna e terraplanagem para construção.

SED e BRF firmam parceria para a criação de programa de educação alimentar nas escolas

A partir desta semana, 20 escolas da rede pública estadual da Grande Florianópolis começam a receber as primeiras ações do Programa Saber Alimenta, voltado à promoção de hábitos alimentares saudáveis entre os estudantes. Na manhã desta terça-feira (16), representantes da Secretaria de Estado da Educação (SES) e da empresa BRF S.A. estiveram no Instituto Estadual de Educação, em Florianópolis, para a assinatura do termo de cooperação necessário para a iniciativa.

O programa prevê a capacitação de professores das unidades escolares para que estes incorporem à grade curricular ministrada aos alunos, informações referentes às boas práticas ligadas à alimentação. Entre elas, como escolher e manusear os alimentos, forma de utilização dos instrumentos de cozinha e processos de cocção.

O conteúdo pedagógico segue a linha de educação alimentar do “Kitchen Garden Project” desenvolvida pelo chefe de cozinha britânico, Jamie Olivier, nas escolas do Reino Unido, mas com adaptações para a realidade brasileira. A ideia é utilizar os alimentos mais acessíveis no Brasil, em receitas de baixa complexidade, que não necessitam o uso do fogão e nem de instrumentos potencialmente perigosos para os alunos. “Queremos criar oportunidades para que os alunos se tornem protagonistas de hábitos alimentares mais saudáveis e que levem os conhecimentos recebidos também para suas famílias”, destacou a coordenadora de Marketing da BRF, Michelle Peñeiro.

Para o secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, a iniciativa vem ao encontro dos objetivos da SES. “Trabalhamos para promover a alimentação saudável e este programa vem complementar o curso de formação em educação alimentar e nutricional já oferecido às escolas da rede. Após a avaliação dos resultados obtidos com o piloto, o programa poderá ser estendido para todas as 1.080 escolas até 2018.”

Em Santa Catarina, cerca de 600 alunos do Ensino Fundamental (com alunos entre 6 e 10 anos) devem participar do programa, que também engloba uma  unidade de ensino privada de São Paulo.

imprimir
Inicial
Todas Notícia
Revista Exxtra
Colunas
Vídeo
Utilidade Pública
Expediente